Ir para o Conteúdo
imgcentral

Café com o Sensei

Pensamentos e comentários do Sensei Jorge Kishikawa


Últimas postagens:

06-jan-2014

Cavaleiros de todos os povos



Dizer que 2013 foi um ano corrido seria pouco.
A comemoração dos 20 anos de fundação dominou o cenário.
Corrido então não seria a expressão adequada.
O que então?
Seria, em síntese, algo que tenha os 3i: intenso, inimaginável e inesquecível.

E aqui estamos em 2014, como num piscar de olhos. O tempo voa como uma flecha.
É o nascer de uma nova era no Niten.
Porque o que eu fiz até ontem, foi pensar, criar e mostrar ao mundo que o Kenjutsu funciona, e muito bem. 
Obviamente que a busca pela invencibilidade continua,
mas o momento agora é de dar um passo maior: de levar o Niten a passos largos e para a frente a todos os que tem o instinto guerreiro. De luta. De sobrevivência. Mudar o mundo.
Neste ponto, acredito que sou um homem de sorte: estou cercado de cavaleiros de todos os povos. 
São brancos, negros, índios ou amarelos, e todos eles tem qualidades incríveis: a vontade inconteste em evoluir como seres humanos, a lealdade com fervor em expandir o Niten e a obstinação sem limites em buscar a invencibilidade.
É por isto que tenho a sensação de que 2014 será, além de uma correria, uma grande aventura.
Convoco os Samurais do Niten a montarem nos seus cavalos porque a grande cavalgada começa agora!




27-dez-2013

20Anos - Demonstração 13

Antigamente era com a katana (aço).
Depois vieram os bokuto (de madeira).
Por final, hoje, treinamos com a shinai (de bambu).
O verdadeiro aprendizado é o que abrange as três ferramentas, cada qual com o seu objetivo.
Conversa a parte, não pode se chamar um praticante do Caminho da Espada, se ao menos não consegue nem sacar
a sua espada frente a um ataque do oponente.
Morrer com a espada embainhada seria uma vergonha nos tempos antigos.
E morrer sem ao menos saber sacar, não seria pior ainda?



Demonstração Kumiai - Gilberto (SP) e Massaru (SP)

26-dez-2013

20 Anos - Feras 10


Se fosse possível mexer no passado do boxe e pedir p ver uma luta que nunca aconteceu, eu pediria pra ver esta: Sugar Ray x Mike Tyson.
Sugar com os seus passos rápidos e soltos ou os socos potentes de Tyson?
No Kenjutsu, que possibilita a flexibilidade dos passos e dos movimentos como a de Sugar, bem como golpes potentes a partir de qualquer situação (kamae) como a de Tyson, a luta a seguir pode nos dar a visão .
Em qual das estratégias você aposta? 





20 Anos - Feras do Niten - Semifinal - Gilberto (esquerda) X Fugita (direita)

20-dez-2013

20Anos - Otake Sensei

Hoje, apresento um grande mestre que me mostrou muitas lições importantes e que influenciaram em muito o meu Caminho: mestre Otake Risuke.
Com a sua paciência, aprendi a ser mais tolerante.
Com a sua tristeza, passei a devotar mais os meus pais.
Com a sua compaixão, aprendi a ser mais paciente com o mundo.
Com a sua determinação, aprendi o quanto eu ainda tenho que melhorar.
Com a sua técnica, aprendi que o Kenjutsu é formidável. Imbatível.

Um Feliz Natal a todos!



Otake Sensei

18-dez-2013

Sportv Sensei - 20 Anos de Kenjutsu no Brasil

Matéria exibida pelo Sportv em 15 de Dezembro

17-dez-2013

20 Anos - Demonstração 13

Tanjo.
Bastão curto é a sua tradução.
Do comprimento de uma bengala, em mãos hábeis torna-se uma poderosa ferramenta para apaziguar um conflito. Arma da paz: não mata.
Não que usasse como bengala, mas ao fazer uma trilha lá em Minas, foi o que me salvou de uma fria que ninguém imagina.
Quem sabe quando nos tornarmos dependentes de uma, ao termos uma em mão, nos livraremos de situações complicadas.
Uma bengala mágica.
Te aconselho a pensar com seriedade neste assunto. 



16-dez-2013

20Anos - Monja Coen

Monja Coen entrou na hist
ória do Niten há aproximadamente 15 anos, quando fomos convidados a fazer parte do antigo Templo Bushinji, na São Joaquim. 
Na 
época, a Unidade Bushinji, na qual aconteciam as aulas de 6ª feira, foi oficialmente, se assim posso dizer, o primeiro local no Brasil onde samurais e monges se cruzaram. 
Convers
ávamos e trocávamos ideias de como os Caminhos se cruzam: histórias e experiências sobre compaixão, autocontrole, perseverança para vencer o ego. Víamos, admirados, como eram notórias as semelhanças, problemas, frustrações e alegrias. 
O Budismo e o Kobudo, ao lado da arte antiga (artes que surgiram até o final do s
éculo 18), fazem parte dos três pilares que representam este sentimento japonês que tanto fascina o ocidente: de que a ¨iluminação¨, cada qual em sua área, vem do próprio esforço e de ninguém mais.
 



 


Senpai Wenzel, Sensei e Monja Coen 

 

13-dez-2013

20Anos - Feras 9

No princípio, duvidavam alguns que dominar os vários kamaes (formas e posições de combate) não seria possível a um único indivíduo. Os combates eram toscos e, realmente, não havia muito o que se admirar. Foram os primeiros anos do Niten.
Com o tempo, aqueles que continuaram o treinamento exibiam combates de por em dúvida os céticos.
Chegando aos 20 anos de fundação, alunos com carga razoável de treinamento foram escolhidos para serem os Feras e mostrar até onde chegamos.
Aqui observamos que um dos lutadores luta com duas espadas (nito) na primeira rodada e com uma espada (itto) na segunda, demonstrando que o domínio de vários kamae não só é possível como é imprescindível.
Leia o Shin Hagakure pag. 180:


FORMA RÍGIDA

"A mente não pode estar num lugar determinado"
Takuan

No "Mizu no Maki", "Pergaminho da Água" no Gorin no Sho, O Livro dos Cinco Anéis", de Musashi Sensei, está escrito:

"A forma da não-forma, a princípio, uqer dizer que não deve haver uma forma rígida ou sequência pré-determinada a ser seguida".

Ele quer dizer com sua experiência que devemos conhecer todos os tipos de kamae, ou melhor, dizendo, "posições" e não ficar apegado em uma.
O prazer de se estudar o kenjutsu é mergulhar nas técnicas ilenares dos samurais e constatar pela própria experiência que esses inúmeros kamae, de fato, surgiram de inspirações divinas.

Há um universo inteiro a ser explorado.
A vida é curta.
Sugiro que você não fique parado.



Alessandro (Porto Alegre/RS) x Massao (Sumaré/SP)

12-dez-2013

Gashuku 4 - Gashuku Tadaima


Estes versos sintetizam o sentimento de todos os que estiveram no Gashuku.
Mais do que cada um melhorar a sua técnica ou rendimento, o Gashuku conseguiu o objetivo maior do que eu realmente desejava: a convivência de estarmos todos juntos de corpo e alma .
Todos juntos focados no aqui e agora: o Tadaima!


 

"Sentimentos de um Gashuku

A vida em movimentos,
Eternizada pelos ventos.
Da fogueira, sobem ao céu
Palavras com sentimentos.
Uma história de giri
Faz-nos todos exclamar:
-Estamos juntos aqui!"

Oliveira (Unidade Porto Alegre)



"Um dos momentos mais belos que já presenciei ao longo desses anos, foi quando o Sensei chamou os coordenadores no sábado para compartilhar os momentos de ouro do KIR Jovem.
Chego a me comover de lembrar. Primeiro, ver as crianças recitando os 4 votos. Não sei explicar, mas me senti pequenino naquele momento.
Pequenino pelas minhas próprias limitações, de perceber que com paciência, dedicação e principalmente ter convicção, é possível colaborar e transformar esse mundo num lugar melhor.
Lembrei-me de meus primeiros professores indo de aluno por aluno, para verificar o aprendizado, e mais do que "decorar a lição", verificar sua assimilação, sua vivência prática.
Infelizmente crescemos e vamos tornando coisas simples complexas, e por isso muitas coisas boas ficam enterradas, escondidas ou perdem-se.
Depois ver o Sensei explicando as palavras e seus significados, as crianças se socializando, falando em público - coisa que muitos adultos ão fazem - cantando e tudo mais, me deu profunda alegria, em perceber que meu futuro e o dos meus semelhantes poderá ser melhor. Mais ainda, me reforçou o sentimento de ensinar, que muitas vezes é sufocado pela sociedade em que vivemos. Realmente foi renovador ver as crianças, e aprendi muito naqueles momentos tão preciosos.

Em pouco tempo, tive uma lição de vida, que veio de forma inusitada, de crianças e jovens guiados pelo Sensei."
- Donegá (Unidade Ribeirao Preto)










"Tamanha profundidade arrancou-nos lágrimas. Como ter o sentimento correto muda
todo o processo e os resultados… Enxerguei-me na relação entre o
aprendiz, com suas expectativas e frustrações de receber tudo que lhe
era proposto, e o mestre que desempenhava com tanta naturalidade o que
ao aprendiz se mostrava intransponível, que trazia sempre as palavras
precisas e dedicava-se sublime e tenazmente. Cada qual a seu modo, não
se sabia se
maior satisfação sentia aquele que descobriu ou o que apontou e
cultivou o feito.
Por fim, o tameshigiri, para descortinar em verdade os cortes, colocando à prova nossos golpes. A seriedade e a tensão, principalmente quanto ao quesito segurança, era preponderante. Enfrentar se os golpes que fazemos nas lutas e katas realmente possuem poder de corte direciona o treino em uma direção mais profunda. Como um espelho, cada corte que realizei no makiwara foi um corte que fiz em minha própria alma.

Todas essas sensações fazem com que os Gashukus e oportunidades de convivermos entre colegas e com o Sensei sejam momentos imperdíveis.
Sem dúvidas, o guerreiro que subiu a serra esse final de semana não foi o mesmo que desceu no final."
- Tachibana (Unidade Fortaleza)
 




















 




topo

(+55 11) 5539-3587 seg-sex 9h-18h
(+55 11) 99734-6497 seg-dom 9h-22h