Ir para o Conteúdo
imgcentral
PAN Americano 2019, em Bogotá

Panamericano 2019

Colombia

05/jun/2019

"No vôo de volta da Colômbia percebi-me com algumas reflexões que peço lincença para compartilhar: por que a sensação de que foram dezenas de dias e não apenas cinco dias? Ao relembrar momentos de nossas vidas, por que alguns parecem mais intensos, mais vívidos?


Talvez a exposição a muitas novidades e informações, mas acredito que não.

Temos muita informação o tempo todo ao nosso redor... a luz, a sombra, as pessoas, a vida, o sentido, o significado, a experiência, a emoção, o sentimento. Dia após dia esquecemos de quase tudo.

Recebi certa vez a seguinte frase na dedicatória de um livro: “Faça sua vida valer a pena!”. Sempre refleti sobre como eu saberia que estava fazendo isso, ainda não consigo ter uma definição clara, mas consigo sentir esses momentos. São momentos que além de uma grande satisfação, parecem fazer o tempo transcorrer mais devagar.

Muitas vezes temos essa experiência durante um treino, um shiai, ou durante alguma prática que nos prende a atenção de forma intensa e profunda. Os cinco dias dessa viagem foram assim, a oportunidade de vivenciar cada momento intensamente. A dificuldade com a diminuição do oxigênio era um limite real, e no caminhar, nas subidas, nas lutas, trazia a reflexão sobre o que é viver a vida a cada respiração. Um treino para enxergar tudo que estava ao nosso redor, não apenas o que queríamos ver, ou os detalhes condicionados que diariamente "enxergamos". Era um misto de atenção e relaxamento extremamente energizantes.

Dos companheiros colombianos, saltava aos olhos uma virtude tão intrínseca ao nosso caminho, o servir. Estavam sempre dispostos, alegres, disponíveis, prevendo e resolvendo o que fosse necessário, ensinando e aprendendo, compartilhando a riqueza do que são conosco.

Da convivência com os companheiros da comitiva fica em mim, especialmente, a experiência e a certeza de que vamos muito mais longe por estarmos caminhando juntos.

Da convivência intensiva com o Sensei advém ensinamentos ininterrúptos, através de relatos, histórias, treinos e sobretudo do exemplo. Arigato gozaimashitá Sensei por nos indicar com clareza o caminho.

Volto com muitas memórias, histórias, risadas, silêncios, reflexões, e o aprendizado de que quando as pernas estão cansadas caminhamos com o coração.

Foram dias que valeram a pena serem vividos!"

Arigato gozaimashitá! Shitsureishimasu"

Lorena - Niten São Paulo








4º Dia 09/06
 

Domingo nosso destino era a Villa de Levya, cidade que mantém a arquitetura desde a época da colonização. Antes passamos por cidades menores, conhecendo vários pontos, indo no mercado de presentinhos mais em conta, provando mais pratos colombianos no almoço e, é claro, cafés colombianos.

 



Em direção a Villa de Levya, paradinha para um café!


 



E a viagem tá aprovada!

 



Momento de fazer memórias!

 



Sensei no estilo colombiano: “Vocês tem 30 minutos para compras, nos encontramos no almoço”

 



Melhor escolher rápido esses presentes!

 



Almoço com todas essas cores, Sensei: “Agora sim me sinto na Colômbia!”

 



Nossos comilões oficiais: Aguilar em primeiro lugar, Santos em segundo e Maynart em terceiro

 

E após do almoço, vai mais um cafézinho? Hai!

 

 

Chegando em Villa de Levya, visitamos a praça principal, com sua igreja e prédios históricos. Jantamos por lá e comemoramos que Alejandro do Chile estava experimentando pela primeira vez na vida cerveja e vinho e apreciando muito.

 



Enfim, Villa de Levya!

 



Passeando pelas ruas da cidade que preserva a arquitetura colonial

 



E o momento do último Jantar na Colômbia

 



Comemorando a primeira cerveja de Alejandro

 



Por último fizemos uma charutada com Sensei, onde muitos assuntos foram abordados e discutidos e como todos estávamos bebendo com o Mestre, várias lições e segredos foram comentados.

 



Charutada com Whisky e muitos segredos!

 



E a alegria se mantém em volta da fogueira











"Ohayo Sensei, yoroshiku onegaishimasu

Shitsureishimasu.
Me gustaría escribir unas palabras sobre el Gashuko en Colombia, dar gracias a Sensei, muchas gracias, cada palabra, cada anécdota compartida, cada Men, cada Tsuki!. mil gracias, esas vivencias y enseñanzas se han quedado en mi y resuenan en cada entrenamiento y cada nueva experiencia de vida, no son solo palabras pues se convierten en acciones todos los días.

Pudimos vivir la experiencia de un "café con Sensei" como lo diría el compañero Guzman, o de tomarnos un vino y unas cervezas con Sensei, pudimos observar la energía inagotable de Sensei, quien recorrió las rutas históricas de Bogotá siempre a un paso firme, continuó con el entrenamiento de Katori hasta tarde en la noche, siempre manteniendo el Kiai alto. Es tan grato observar que Sensei no solo enseña con palabras, también enseña con el ejemplo.

Fue expectacular observar las técnicas que Sensei nos mostró en el gashuko, la paciencia ante nuestros incontables errores, y la alegría que igualmente transmitía incluso en momentos tensos como los Shiai de Kenjutsu y de Iaijutsu, creo que esa energía es contagiosa, Niten es felicidad
Para Senpai Andres y para mis compañeros que iniciamos Niten en Colombia es un hito histórico haber vivido esta experiencia. No pude ocultar mi felicidad al ver a mis kohai de Iaijutsu desempeñarse con mucho kiai y haber logrado ganar el torneo, aun siendo un coordinador principiante para mi fue una experiencia llena de alegría.

Poder conocer también las anécdotas de los Senpai Shindi, Maynart y Barreto. La amistad de Senpai Alejandro de Chile y la infinita paciencia de la Senpai Caballero, mil gracias a ella, así como la energía transmitida por la comitiva, hicieron de este Gahsuko una experiencia aun más inolvidable.
Solo puedo decir: Hontou ni arigatou gozaimashita!!!

Shitsureishimasu"
Ortiz - Bogotá - Colombia









3º Dia - 08/06





No dia do Gashuku, Sensei resolveu mudar a programação, e dar a todos os alunos presentes um treino especial com muitos ensinamentos e segredos. Sensei colocou bogu e mostrou cada kamae e explicando os pontos fortes em cada kamae. Foi uma aula e tanto que deixou os colombianos surpreendidos com o que podiam fazer.













Sensei explicando as técnicas de cada kamae







Do Tchudan à Naginata, Sensei lutou com todos os kamaes e armas







Brinde para os colombianos











Sensei explicando o conceito de “Andar na corda bamba”







Guedan no kamae é o kamae mais poderoso pois não parece um kamae e ao mesmo tempo você pode olhar para todos os lados.

Somente um ninja para não ser visto no guedan. “Olha o ninja!!!”







O almoço!







A hora do almoço traz muita alegria a esses samurais famintos

Por mais simples que fosse, era o que os samurais precisavam para continuar na guerra!







Não ficamos cheios, mas satisfeitos, pronto pra o combate: HAJIME!

Depois todos treinaram Niten Ichi Ryu, Kenjutsu e Iaijutsu e tiveram correções e avaliações de técnicas.

E no final houve combate, onde as batalhas foram fervorosas e animadas pela torcida colombiana!







Treino Niten Ichi ryu









Ferocidade Colombiana no iaijutsu!







Colombianos prestando atenção nos katas de iai











Men, não! - Do!







Instrução de arbitragem aos mais graduados







A vista de um men







Kaeshi Do de Nitto







Um dos Golpes da Final: Men e Do dado ao mesmo tempo, quem ganhou? Quem teve mais energia!!! MEN!!









Novos graduados: IAIJUTSU e KENJUTSU







Campeões do torneio -  IAIJUSTSU Torres, Colômbia / KENJUTSU Lorena, São Paulo 







E um troféu para o sucesso da Colômbia!







Agora é festa: NITEN!!!







O Jantar fechou o dia com confraternização, onde comemoramos estarmos todos juntos,

as conquistas alcançadas e travamos a última batalha de “Men, tsuki, kote, do”, brasileiros versus colombianos, onde quem perdesse bebia um ikki!

Terminou em empate, todos beberam!







À Colômbia!!







Shiai com Alegria!







E Diversão!













Iniciar el Camino

"Muchas expectativas se cruzaron por mi mente frente la llegada de Sensei a Colombia, con apenas un mes y medio de entrenamiento en Niten ya tuve mi primer Gashuku. Una experiencia inolvidable en mi vida, aunque unas semanas antes sentía incertidumbre de lo que podría pasar en este día, lo sentí mucho por mi inexperiencia en la práctica del Kenjutsu, me daba temor de no hacer las cosas bien; sin embargo, la confianza de Senpai Andrés para que asistiera al evento y beber de la fuente directa me motivaron asistir, y por supuesto que no es lo mismo al que le cuentan de quien lo vive. Tuve una oportunidad única que transformó mi manera de ver el mundo. Si antes buscaba con el Kenjutsu cambiar mi estilo de vida, ahora me ha dado la fuerza para empezar hacer de este estilo de vida algo muy especial, y entre lo especial me refiero a dar todo lo mejor, en cada detalle, a corregir desde el principio y no dejar para después lo que desde ya se tiene que mejorar.

Nunca había vivido con gran intensidad cada instante. No fue fácil para mí en la medida que aún estoy como principiante; pero participar me ha dado la experiencia para trazar una ruta en el camino de lo que debo hacer. Me impactó la armonía de Sensei en sus movimientos, la habilidad y dominio que tiene del shinai, sin esforzar en sus movimientos y esa facilidad de vulnerar a los oponentes que se enfrentaron a él con bogu. Es impactante estar a unos metros de la realidad de sus demostraciones, los consejos ante las técnicas realizadas al final fueron la brújula de nuestro horizonte; el día estuvo lleno de momentos de oro.

Durante la practica de katas me llamó la atención la corrección inmediata de movimientos que ya de alguna manera los había acostumbrado en mis posturas, aprendí que no se trata de repetir lo mismo una y otra vez, sino que hay que hacerlo bien desde el principio ya que los “vicios” no se corrigen tan fácil. Aunque no tuve la oportunidad de participar en el torneo, fue toda una escuela. Los encuentros entre de los kyus fueron formidables demostrando el espíritu de samurái que hay en cada uno; de igual manera los encuentros de iaito, fortalecieron mis ganas de seguir adelante en este largo aprendizaje hacia el Kenjutsu. Aún está en mi memoria el kusarigama, lo vi, lo sentí como un fuego cruzado sin pólvora, la emoción de haber participado en el Gashuku con Sensei fue inolvidable.

Estoy muy agradecido de haber estado en este encuentro y de aprender de todos los que estuvieron conmigo tanto los Senpais de la comitiva como Niten en Bogotá que me han ayudado a ser mejor en mi proceso de aprendizaje Arigatou gozaimashita"

Beltrán - Bogotá










"Shitsureishimasu

Gostaria de compartilhar aqui alguns pensamentos de tantos que surgiram ao longo desta viagem a Bogotá.
 
Pude ver na Colômbia muitas semelhanças com a minha terra.
Clima, altitude, não são tão distantes de Curitiba quanto pensei. 
Mas lá, as cores parecem mais vibrantes.
Existe uma energia distinta (e muito boa) no ar.
 
Nos colombianos, muita disposição para agir
Passando Fome, Cansaço, o Portunhol!!, mas persistindo no objetivo de aprender.
 
Nos membros da comitiva, uma Sinergia oportuna
Membros diferentes, em conhecimento de treino, sabedoria de vida, nacionalidades e especialidades
Trabalhando em conjunto para cumprir uma missão
 
Com este ambiente, e estas pessoas, seguimos 5 dias de muitas descobertas
Para muitos, suas primeiras experiencias de vida
Para outros, um precioso aprofundamento
 
Nada se consegue, sem investir/dedicar tempo
Dinheiro é tempo
assim como Medo, ócio e preguiça
Independente de fazer ou não, o relógio continua a tocar  
 
Experiencias são tempo
Habilidade é tempo, bem como Sabedoria
E, para os que participaram deste Encontro, 
ganharam não só tudo isto, como, ironicamente
Tempo.
 
Arigato gozaimashita a todos os Colombianos pela recepção e atenção
Arigato aos membros da Comitiva, Brasileiros e Chilenos, pelas batalhas travadas nestes dias 
E Arigato gozaimashita Sensei, pelos Ensinamentos e por, novamente, me apontar uma nova direção no Caminho
 
Shitsureishimasu"
Shindi

 



 
2º Dia - 07/06

 



 
Topo de Monserrate
 



 




Subida de Bondinho, alegria dos Samurais


 




Mas para chegar ao topo, somente a pé!
 

 




Estamos a 3127 metros do nível do mar, e subindo!
 

 




Samurais no topo de Monserrate
 

 

 

 




Tamal, chá de Coca e Arepas
 

 




Está bom, Sensei? “Hummm…”
 

 

 


Seguimos em direção ao centro de Bogotá, onde passamos por vários pontos importantes da cidade guiados por Gutierrez, nosso colega de espada e guia na ocasião, que contou em detalhes as histórias da cidade.
 




Passando pelo Museu Casa Quinta de Simón Bolivar


















 
Passeio pelo Centro histórico de Bogota







La Polla, heroína da independência da Colômbia
 






Almoço tradicional Colombiano









Samurais nas Ruas Colombianas
 

 


Após o almoço visitamos o Museu do Ouro, onde várias peças que foram encontradas enterradas com seus donos estavam expostas e podemos ver de perto um pouco da riqueza do lendário reino do “El Dourado”, será?
  




Museu do Ouro
 

 




Várias peças encontradas em túmulos
 

 




O nativos também tinham sapinhos!
 

 




Barreto comemorando ser um “Adulto Mayor”


 




Depois de 10km de caminhada por Bogotá, ou 14 mil passos contados por nosso colega de comitiva Barreto, fechamos o dia com o treino de Katori, conhecendo um pouco mais nossos colegas colombianos, e um bom jantar para nos prepararmos para o dia do evento principal: Encontro Pan Americano!
 




Jantar com colegas colombianos: Ceviche!











"Quero agradecer antes que nada por ter acreditado que algum dia poderíamos ter Dojo na Colômbia comigo.

Realmente o Niten fornece situações e problemas fora do normal que elevam nosso nível e crescimento para afrontar sempre novos desafios da vida. 
Há dois anos e meio que começou o projeto do Dojo aqui em Bogotá eu tinha um sonho, que em aquele momento achava impossível de conseguir.
Meu sonho virou uma realidade, trazer o Sensei a um evento aqui na Colômbia. 

Naquele momento não tínhamos nada aqui, só a boa vontade de fazer e o apoio do Sensei e da ADM.
Todo será diferente de aqui em frente pois o convívio do mestre com os alunos será um ponto que não esquecerão e neste evento entenderam o Niten muito melhor e não só na parte técnica,- mas no Bushido, e com isso o desenvolvimento de seu caminho será superior.
O convívio trará grande mudança para o grupo da Colômbia e para mim pois já sentia falta também da época que eu sozinho vivi quando estava mais próximo morando no Brasil.
Falaremos do que aconteceu aqui e quem veio viu e saberá da fonte direta. 
O convívio com o mestre nos fará melhores Samurais. 

Sensei arigatogosaimashita por nos brindar esta grande oportunidade, agora vem nosso grande desafio de crescimento e consolidação na Colômbia para os próximos anos. 
Esperamos tê-lo muitas vezes conosco para aprender mais pessoalmente em este caminho que apenas começa!
Arigatogosaimashita!"

Andrés  (Coordenador Dojo Colombia)






Início de nossa viagem começa com a preocupação se todas as nossas malas serão despachadas corretamente, pois nossas almas (nossas espadas e as do Sensei) estavam lá.
A primeira batalha havia começado, e achamos que íamos perder uma Nega Fulô* para o raio X,
mas ela foi despachada corretamente após abordagem dos agentes do aeroporto (gerando os primeiros mens que tomamos). 
Após tudo despachado e ainda na área do embarque em São Paulo.
O  Sensei só perguntou "Podemos beber agora?".









Tudo correu bem e embarcamos com muita animação rumo à Bogotá!





Quando chegamos em Bogotá, antes de sair do aeroporto ficamos 1h30 na imigração.
Encontramos nosso irmão de espada Alejandro que vinha do Chile ao evento.







Comitiva e cachaça*, todos inteiros na chegada em Bogotá






Após deixar todas as malas no hotel fomos apreciar um ótimo Jantar acompanhados dos amigos da Espada e de "El Inimigo!" (Um belo Vinho que o Sensei nos apresentou)






"9 grados apos el vino no es problema"











"A viagem a Colômbia foi uma viagem de muitos aprendizados. Eu fui logo após terminar o shugyo e me senti colocando em prática tudo que havia aprendido.
Primeiro viajar com Sensei é uma experiência única, bolamos as melhores estratégias para que tudo dê certo, desde que armas levar e como levá-las. E ainda  Sensei indicou o papel de cada um, tudo planejado.
Mas ainda assim ocorrem intercorrências!
O inimigo te pega desprevenido e você tem que agir rápido para que as consequências não influem no andar da viagem. Estivemos numa verdadeira guerra!
Temos horários de encontro e de reuniões a serem cumpridos para que todos os eventos ocorram dentro do combinado. As reuniões geralmente são antes das refeições e nelas são atualizados nossos próximos passos, se todos estão bem.
Sensei me disse durante o shugyo que fazia questão de na Colômbia comer bem, provar comidas típicas e experimentar algo nunca visto antes.
Essa é a intenção de viajar: novas experiências.
Conhecer lugares vistos antes somente em livros de história e aguçar o paladar com temperos, chás e cafés locais e inéditos para nós.
E a comida era farta! Muitos perderam as batalhas de vencer o prato, mas tivemos ajuda de bravos samurais colombianos, Santos e Aguilar, que nos salvaram no dever de não deixar um grão sobrando no prato.
Para conhecer os vários pontos turísticos em pouco tempo andamos um bocado, 10km, ou 14 mil passos em um único dia vendo os melhores pontos de Bogotá.
Brincamos se esta era a estratégia dos colombianos para cansar a comitiva pra o evento principal no sábado, mas se fosse, de tanto andar estávamos não mais cansados mas com o espírito em fúria já! 
Prontos para as batalhas!
 
No sábado dia do evento principal, Sensei chegou e mudou tudo. Ao invés de um gashuku com torneio, Sensei pensou no melhor para aquela turma que ali estava a nos receber e fez um super treino especial. Mostrou kamaes do kenjutsu lutando de bogu contra os mais antigos, ressaltando as técnicas e contando segredos!!! E tudo isso com a altitude atacando, nós da comitiva morríamos com dois golpes: o ar não entrava!
Sensei passou por todas as armas, passado por naginata e por kusarigama, "quem não foi perdeu".
Foi realmente uma grande aula de nosso mestre, um grande sucesso.
 
Mas a viagem continuava, até a volta para o aeroporto seriam mais dois dias, e mesmo como objetivo de "turistar" e conhecer a cultura antiga desse país colorido, ainda estávamos em guerra.
Os horários de encontro deviam ser cumpridos, e samurais viraram ninjas para passar por todas as lojas e não pagar mais nenhum sapinho!
No último dia Sensei lembrou "esse é o momento que as pessoas relaxam, quando voltam pra casa", então nós samurais deveriamos apertar mais nossos obis espirituais e estarmos prontos para a última grande batalha: a volta.
 
E realmente ainda havia vários aprendizados nesta etapa final! Sensei, no aeroporto, falou sobre coisas importantes da vida, coisas que não têm explicação mas funcionam. Estávamos todos ali juntos aproveitando, brasileiros, chileno e colombianos.
Até o fim da viagem não paramos de aprender, de avançar no caminho e evoluir, com disciplina e unidos.
 
Acompanhar o Sensei em uma viagem é um desafio, mas também uma inspiração a todo momento: de acompanhar o mestre e ver como ele tem a visão ampla e pensa em cada um de nós e no melhor para um e para todos ao mesmo tempo.
Temos um verdadeiro mestre que se orgulha de seus alunos e nada mais prazeroso de ajudar ao mestre, para passar esses 
ensinamentos para seus alunos de longe!
 
Foi uma experiência muito prazerosa, arigatou gozaimashita a recepção de nossos colegas colombianos, com alegria e grandes sorrisos.
Domo arigatou gozaimashita ao grupo da comitiva, foi muito companheirismo e o sentimento de se ajudar em qualquer problema, de 
confiança e retidão! Aproveitamos bastante.
E Domo arigatou gozaimashita Sensei, por todos esses aprendizados e muitos mais que somente quem esteve presente pode sentir.
Que venham outras viagens, mais comitivas e muito mais aprendizados!"
 
Cavalheiro (Coordenadora Dojo Porto Alegre)


topo

(+55 11) 5539-3587 seg-sex 9h-18h
(+55 11) 99734-6497 seg-dom 9h-22h