Ir para o Conteúdo
imgcentral

Café com o Sensei

Pensamentos e comentários do Sensei




Retornar para últimas postagens

    30-abr-2010

    Dia do Samurai 4

    Deixo o comentário de dois alunos sobre o Dia do Samurai em São Paulo.
    O primeiro por expressar com detalhes os acontecimentos no dia.
    O segundo aluno , por este ser nao apenas ser aniversariante, mas sim por ter se mostrado samurai com retidão e coragem em sua Unidade o que desencadeou a renovação completa da unidade.

     




    Parabéns


    "Me chamo Douglas Lima Daniel e sou aluno do Niten BH.
    Esforço-me para merecer o “título” de “discípulo”.
    Estive em São Paulo nas comemorações do Dia do Samurai 2010, com os Senpais Sartori e Fonseca.
    Confesso que continuo com o espírito intenso, ainda aquecido com as batalhas das comemorações, que aliás, não há maneira melhor de comemorar o Dia do Samurai do que combatendo, elevando o Senki ao máximo.
    Comecei a semana empolgado e ansioso para a chegada do grande dia, organizei os preparativos para a viajem, conferi as armas, as provisões, chequei o itinerário, calculei as horas. Estou pronto.
    Chegamos bem cedo, pude conhecer a ADM, os Senpais responsáveis, as regras...
    Já estava em treinamento, comecei com os katas do Bushido.
    Logo na chegada percebi que a diferença de idade entre os Senpais que estavam na ADM e eu não influenciou na nossa conversa, nos tratamentos. O Niten inspira nos jovens um respeito que não existe nos dias de hoje, filhos que desrespeitam os pais e os mais velhos, brigões, arruaceiros...
    Na chegada à Unidade Faria Lima tive a mesma impressão, mesmo com uma grande quantidade de pessoas, os mais jovens mantiveram o respeito, focaram a atenção quando conversávamos, fiquei impressionado, como se a unidade tivesse se transformado em outro país, bem diferente do lado de fora. Os princípios do Bushido estavam aflorados!
    Mais contente do que estar treinando em São Paulo foi estar na presença do Sensei, que logo nos recebeu com um belo sorriso, neste momento todo o meu nervosismo se foi. O Sensei é um amigo e não um monumento que se admira ao longe.
    Logo no início, nos kihons, o Sensei me observou, corrigiu minha postura, Hajime! Foi uma surpresa! Meus golpes melhoraram com uma dica aparentemente simples. Arigato Gozaimashita Sensei!
    Medir forças. Fiquei empolgado! Me armei com Nito. No auge do meu 7º Kyu fui para a batalha, gostaria de ter lutado com todos, mas a experiência que tive valeu vários meses de treinamento. Fiquei imensamente honrado ao ser convidado para auxiliar com os iniciantes sem bogo, mais ainda de ser chamado de Senpai, logo pensei: “Eu! Senpai!”. Aprumei a postura e pensei comigo: “Serei o melhor exemplo que puder, vou inspirar como os meus Senpais me inspiram”
    Uma manhã que eu não gostaria que tivesse acabado.

    Mas ainda tem muito mais, treino livre de kenjutsu antes dos katas da tarde!
    Lanche rápido. Molhei a garganta, Kiai!
    Muitos quiminos azuis só aumentavam a minha empolgação! “Tenho que aprender o máximo que puder!” Olhei para os lados, somente eu como 7º Kyu. Tomei muito kotes, muitos mens, alguns eu nem vi! Mas dei trabalho, não foi tão fácil me acertar, inclusive acertei alguns, neste momento o agradecimento dos Senpais me encheram de orgulho. Ganhei boas dicas do Senpai Fabrício. Arigato Gozaimashita Senpai Fabrício!
    O que aprendi? Ganhei destreza com Nito, diminui a minha rigidez, defini melhor os golpes, minha postura melhorou bastante, melhor análise do oponente, sem desespero, encontrando a abertura.
    Katas do Niten. Quantos alunos! É um momento raro ver tantos alunos juntos num mesmo objetivo, todos empenhados, concentrados. É possível sentir a energia, o Senki estava afiado. Quanto a mim, aprendi a 6º e a 7ª sequência, refinei as 5 primeiras, ganhei boas dicas do Senpai Gilberto, mais uma vez pude melhorar a minha postura. Arigato Gozaimashita Senpai Gilberto!
    Nas apresentações do áudio visual constatei o quanto ainda tenho que melhorar. Belíssimas. Impressionou-me muito a forma, o segredo da postura é fundamental para realizar o kata com eficiência para atingir a eficácia. O resultado depende de “fazer certo as coisas certas”.
    Sobre a confraternização, posso dizer que estivemos como uma família. Tinha acabado de conhecer vários membros e era como se fôssemos amigos de infância, sem resistência, muita alegria e a certeza de uma batalha ganha. Quanta honra, quanto orgulho, sentar-me frente ao Sensei, servi-lo e ser servido. É preciso viver estes momentos, só assim se aprende o Gokui.
    Vencemos mais esta batalha, foi uma bela vitória, mas ainda há uma guerra a vencer e para ela vale o nosso lema: “Treinar, Treinar e Treinar”

    Parece-me extenso este relato, mas é certo que não foi o suficiente para passar o quanto valeu este momento. Está na memória os aprendizados, as boas dicas, não somente em relação ao treinamento, mas para a vida, pois a convivência em si só já é uma batalha. E esta nós travamos todos os dias. Perder ou Ganhar só depende de nós

    Sayounará.
    Domo Arigato Gozaimashita.

    Douglas Danie- Niten Belo Horizonte



    Dia do Samurai. Dia de encontrar nossas raizes


    "Desde o retorno de São Paulo, venho me preparando para enviar-lhe minhas impressões sobre um dos melhores aniversários que já passei. Não me sai da cabeça uma pequena frase dita pelo Sensei em um dos E-GANS passados, no qual o Sr. desabafa a respeito de um biru-dô que considerava merecido àquele momento. Numa dessas frases não exatamente com as palavras que agora escrevo para recordar o Sr. dizia: "quero comemorar neste biru-dô algumas coisas importantes, pois muitas coisas perdemos pelo caminho" ou alguma coisa parecida com isso.

    Semelhanças desse seu desabafo imediatamente fizeram um "link" na minha mente com as minhas impressões essoais sobre minha vida, também perdi muitas coisas pelo meu caminho, não penso nas materiais, mas nas pessoas que pelo caminho que passei ficaram para se tornarem hoje o meu passado. E como todo solitário que ficou sem companhia sinto falta delas e sinto a perda delas também. Algumas morreram, outras me esqueçeram, outras estão eternamente em minhas orações e envio a elas meus sentimentos mais profundos sempre que posso.

    Venho lutando sozinho, seguindo o meu "BUSHIDO", fazendo cada dia o meu trabalho, o meu aperfeiçoamento espiritual, minha busca incessante como qualquer ser humano pela simples e completa sensação de apenas ser feliz e viver bem com as pessoas. Este meu aniversário deste ano me levou a ter momentos de profunda felicidade, confirmando o que senti quando a primeira vez pisei um Dojo do Niten quando após me assentar para assistir, escutei aquela "gritaria estranha" que todo aluno faz ao adentrar no Dojo. Me senti em casa naquele momento, me senti perto da porta de algum castelo medieval japonês, me senti em um contexto de situações passadas, me senti forte, me senti no caminho certo, e disse para mim naquele momento: "achei a minha turma". Vou praticar um dia isso pois tudo aquilo me parecia ao mesmo tempo desconhecido e familiar, mas nem por um segundo essa sensação paradoxal me confundiu, pois a sensação que tive naquele dia foi que me senti MUITO BEM.

    Durante o treino olhava todo aquele cerimonial de cumprimentos e reverências à Katana no Torei, ali começei a perceber o que eu realmente senti. A espada seria então meu caminho daí em diante.
    Neste dia 24 de Abril, no meio de tanta gente desconhecida, me livrei um pouco da minha solidão, alguns chegaram até a mim e me deram um caloroso "OMEDETÔ GOZAIMASS". Agradeço ao Senhor pelas palavras ditas a meu respeito a todos que ali estavam e nunca haviam me visto. Me senti naquele momento "dentro do castelo" com meus companheiros, me senti cercado de proteção e de boas energias, mais uma vez me senti bem por fazer parte de algo que acredito verdadeiramente que é a busca por um caminho espiritual de auto conhecimento e de sinceridade.

    Hoje percebo o quanto foi bom resistir e agora poder dizer que minhas dúvidas muitas vezes me incomodaram enquanto treinava sob a coordenação do Tamietti, não posso negar que sentia um desconforto estranho com aqueles antigos companheiros que se foram, me senti várias vezes incomodado com a presença deles mas não tinha um explicação lógica. Sentia através daquilo que considero "percepção das energias das pessoas". Na vinda do Senpai Adeval essa sensação mudou completamente e inclusive registrei isso em um e-mail para o meu Senpai na época: AKIRA, quando disse a ele a minha impressão sobre o senpai Adeval, resumindo numa frase: Senpai Akira, gostei muito do novo senpai e tudo que posso dizer a respeito dele é que se assim me for permitido opinar: "ele é um dos nossos". Estou muito satisfeito com o Senpai Adeval o qual tenho uma grande admiração e espero que também pelas minhas atitudes e posturas tenha da parte dele os mesmos sentimentos.

    Para finalizar Sensei, gostaria de dizer que neste, na verdade "nosso aniversário" me senti muito honrado em estar ao seu lado comemorando não só a data dos nossos nascimentos, mas acredito que muito mais que isso, apesar de todas as nossas perdas pelo caminho, comemoramos nossas vitórias em encontrar junto a tantas pessoas que buscam as mesmas coisas que buscamos apenas um pouco de momentos de felicidade e sorrisos no meio de nossos terríveis campos de batalhas pessoais e coletivos que dia a dia enfrentamos a cada nascer do sol.
    Que este seja um grande ano do Tigre para todos nós, e que possamos sorrir muito mais e juntos.


    Trivelli - Niten Belo Horizonte

    OBS.O aluno Trivelli , citado no Cafe, iniciou os treinamentos na Unidade Curitiba com o coordenador Akira.
    Posteriormente mudou -se para Belo Horizonte onde permanece hoje.




    Mais Fotos do Dia do Samurai

    Tags: Dia do Samurai,



    topo

    (+55 11) 5539-3587 seg-sex 9h-18h
    (+55 11) 99734-6497 seg-dom 9h-22h