TREINAR
KENJUTSU
EM CASA
Todos os treinos presenciais do Instituto Niten estão suspensos em virtude do Covid-19.
Mas para distribuir a chama da Espada criamos a página "KENJUTSU EM CASA PARA TODOS".
Nela todos podem encontrar material para treinar em casa e trechos dos Momentos de Ouro do Sensei Jorge Kishikawa.
Vamos manter a energia do Corpo, Mente e Espírito em movimento!
Café com o Sensei Ir para o Conteúdo
imgcentral

Café com o Sensei

Pensamentos e comentários do Sensei Jorge Kishikawa




Retornar para últimas postagens

    28-set-2011

    O Resgate 6 - Diferenças do Kenjutsu e do Kendo 3

    Uma diferença marcante do Kendo para o Kenjutsu está bem ilustrada nesta foto:

     

    O praticante da direita avança por baixo da espada do oponente e corta o seu antebraço em golpe ascendente (de baixo para cima), aplicando o Utigote (parte interna do antebraço).
    O Kenjutsu utiliza amplamente os golpes de baixo para cima . O Kendo, não.
    O Kenjutsu surgiu há 700 anos, após a invasão (fracassada) de Kublai Khan, neto de Gengis Khan. Até então, os combates com a espada eram definidos pelo uso da força e agilidade. Aquele que tinha a maior força muscular, ou aquele que era ágil e esperto tinha a vantagem. Com a invasão dos mongóis, os samurais viram-se obrigados a aprimorar a técnica no manuseio da espada para se fortalecer diante de um outro possível ataque, surgindo então o termo Ken (espada) e Jutsu (técnica). A partir dessa época, passa a prevalecer a técnica sobre a força. A técnica sobre a velocidade. A técnica, o Kenjutsu , passa a ser a soberana para o sucesso tanto para a conquista bem como para defender as suas terras. É nesta época que confecção de espadas ganha respeito. A confecção das katanas tem de acompanhar a evolução técnica.
    Em termos práticos, a espada samurai, para ser totalmente bem aproveitada enquanto arma, deve ser golpeada de cima para baixo (como ocorre no Kenjutsu e no Kendo), bem como de baixo para cima ( Kenjutsu).
    Os cortes de baixo para cima são desferidos, como nesta foto, no antebraço, nas pernas, no abdomen. Quando aplicado no abdome, pode ser aplicado com uma mão ou ambas as mãos, geralmente da posição waki (espada na cintura). É denominda de gyaku kesa.
    O praticante de karate, kung fu ou qualquer outra modalidade que utiliza as pernas para o chute sabe que sem este o combate perde sentido. Combater esperando que o oponente venha só com as mãos de cima para baixo impede que a arte evolua por completo, enquanto combate. Quantas vezes já não vimos grandes "feras" indo a nocaute ao levar um chute de baixo para cima como aquele do Anderson Silva sobre o Belfort?

    Bem, em termos de combate com a espada, para aplicar o utigote , é necessário , principalmente, que o seu oponente esteja com a mão esticada para a frente (como a posição tchudan, ilustrada nesta foto). Isto nos leva a concluir que, diante de um exímio praticante, especialista em utigote, adotar a posição tchudan era demasiadamente arriscado. Quando falo "exímio praticante", quero dizer aquele que vem com a espada, de baixo para cima, com a velocidade de um projetil...você quase não vê, pois a sua própria espada impede de ver o que se move abaixo dela.

    Tal fato demonstra que era mais do que necessário dominar todas as outras posições do combate, o que, nos dias de hoje, vai de encontro a proposta do Instituto Niten : adotar todas as posições e técnicas com a espada samurai.
    E isto tem nome: Kenjutsu.




    topo

    +55 11 94294-8956
    contato@niten.org.br