Ir para o Conteúdo
imgcentral

Café com o Sensei

Pensamentos e comentários do Sensei Jorge Kishikawa




Retornar para últimas postagens

    08-set-2015

    Reflexões de Fim de Semana 4 - Kendo x Kenjutsu

    Em 2009, durante as comemorações do Dia do Samurai, universitários japoneses praticantes de kendo vieram ao Niten para, segundo orientação de seu professor, conhecer as antigas técnicas do Kenjutsu.
    Vídeos técnicos foram enviados para que pudessem se ambientar com o que encontrariam aqui no Dia do Samurai.
    A confraternização, entre as várias demonstrações do Niten, incluiu também combates para o aprendizado dos japoneses.
    O vídeo dos combates em São Paulo foi exibido neste Gashuku e as impressões de cada um dos alunos foram as que se seguem:








    "A confraternização (Dia do Samurai 2009) tornou-se uma situação de combate. Porém, se fosse um combate real, ao final não teríamos nenhum participante do time de Kendo vivo para contar sobre os acontecimentos. Ficou claro que a técnica supera a força. Ficou clara a eficiência do Kenjutsu. E infelizmente, o árbitro utilizou um evento de confraternização para um desafio. Uma pena, pois os alunos de Kendo perderam a chance de aprender. Uma pena, pois com o registro em vídeo, ficam claras as falhas dos instrutores de Kendo em ignorar regras que previamente foram apresentadas." - Guimarães (Unidade São José dos Campos)

    "También pudimos asistir al vídeo de kendo x kenjutsu, donde pudimos apreciar como los practicantes de kenjutsu, con sus variedades de kamaes (posturas) y estrategias fueron ampliamente superiores a los practicantes de kendo, apegados a un único kamae rígido y tácticas fuera de toda lógica de combate real. Somos afortunados al poder entrenar una variada cantidad de armas (una y dos espadas, espada corta, naginata) lo que nos aporta una gran variedad de estrategias a elegir dependiendo la ocasión." - Huarte (Unidade Buenos Aires)

    "Entendo que seja difícil para um árbitro deixar de lado décadas de entendimento sobre o que é um ippon (ponto) pela ótica exclusiva do Kendo, mas me pareceu que houve uma incapacidade ou ausência de vontade em manter a mente aberta a novas possibilidades. A resistência em marcar diversos golpes, como aqueles com a Kodachi (espada menor) ou de técnicas de Soete (mão sobre a lamina), chegou a ser absurda. Se o cenário fosse transmitido para lutas reais, o desfecho de vários embates obviamente teria sido favorável aos alunos do Niten.
    Por outro lado, achei bastante interessante ver a velocidade com que alguns alunos do Kendo desferiam seus golpes. Houve pelo menos dois mens que eu gostaria de ver de novo.
    No fim, a sensação que ficou foi de tristeza pela postura dos membros da delegação de Kendo. Preferiram competir, de forma inflexível, e usar apenas as regras que lhes favoreciam, ao invés de aproveitar uma grande oportunidade de crescimento."
    - Matsuda (Unidade Caxias do Sul)


    "O filme do encontro entre Kendô e Kenjutsu não foi menos relevante para minha formação. Além de um sentimento de vergonha pelo caráter mostrado pelo mestre japonês, pude ver quando a competição destrói centenas de anos de tradição pelo simples gosto pela vitória. Pude entender por que o Sensei repete tantas vezes que o objetivo não pode ser apenas ganhar medalhas. Agora posso dizer com o espírito em paz: concordo totalmente com o Sensei. Não menos importante, com base nesse filme, entendo que o mestre Baba esqueceu-se porque aqueles jovens subiram a montanha. Afinal, não se precisa subir a montanha para ganhar medalhas. É mais fácil passar em uma loja de esporte e comprar quantas você quiser. " - Germano (Unidade Sorocaba)


    "Pela noite, pudemos assistir o vídeo do kendo X kenjutsu e foi um tanto quanto revoltante a atuação dos árbitros japoneses, chegando a beirar a arrogância ou até mesmo a incompetência, o que não seria lógico, levando-se em consideração a origem cultural e os longos anos de experiência que eles possuem no kendo. Golpes perfeitos de brasileiros que não pontuavam, críticas à torcida dos alunos do Niten, anulação de técnicas com as duas espadas, entre outras observações me fizeram pensar se valeu a pena a vinda dessa comitiva de atletas japoneses ao Brasil...
    A única coisa que me deixou mais aliviado foi saber que, ao chegarem no Japão, três quartos dos alunos daquela universidade desistiram do kendo, o que mostra que pelo menos eles perceberam o quanto as técnicas do kenjutsu eram eficazes e que acabaram ganhando injustamente, por simples "ego ferido" de seu mestre."
    - Matta (Unidade Ponta Grossa).







    Mais relatos no Mural dos Alunos




    topo

    (+55 11) 5539-3587 seg-sex 9h-18h
    (+55 11) 99734-6497 seg-dom 9h-22h