Ir para o Conteúdo
imgcentral

Café com o Sensei

Pensamentos e comentários do Sensei Jorge Kishikawa


Últimas postagens:

07-jul-2009

No Alto da Montanha...

Merece hoje um parêntesis no trecho escrito em "Acordei!"(03jul-"acordei"):
"Especialmente, deixo meu carinho ao Sensei, que abriu suas portas e demonstrou que nunca esteve isolado no alto de uma montanha,...."
"Alto de uma montanha"...
Os que já me conhecem sabem que em guerra ou em meditação , costumo ir no alto da montanha.
Assim como o general olha a movimentação de seu exercito como um todo ou o sábio que se retira para meditar.
Os que não me conhecem acham que sou "fechado". Os que conhecem um pouco , pensam que tenho duas caras.
Bobagem.
Tudo tem o seu tempo.
Hora de lutar, lutar. Hora de brincar, brincar.
Agora, ficar isolado no alto da montanha não fico não.
Sabe por que?
Primeiro , gosto do calor humano.
Segundo, por que não gosto do frio!
 


BrrrrBrrrr!!!!

06-jul-2009

Niten é Vinho

Falei em um Café anterior sobre Bugei Juhappan, ou melhor traduzindo, as 18 artes samurai.
Gei em português significa refinamento, arte.
O último vídeo sobre Gashuku* de Katas (Vídeo Gashuku de Katas) ilustra um pouco do que se pode (e se deve!) aprender no Instituto Niten quando se percorre o Caminho do Samurai.
Niten Ichi Ryu de Miyamoto Musashi*, Jitte*, Kusarigama* e por aí vai.
Assim como a pintura de Da Vinci , Caravaggio ou Klimt, os Katas no Niten são cheios de curiosidades, detalhes e segredos.
Não é o mais importante formar atletas ou campeões, e sabendo que, nesta vida, estar no pódio é como um piscar de olhos enquanto que a tela é para sempre, no Niten, o aluno prima por atingir o refinamento nas artes (geijutsu) em que o artista é ele próprio e o pincel a sua espada.
Para encurtar, apesar de você já saber o que eu vou dizer :
"No Niten é como vinho. Quanto mais velho, melhor."



Gashuku = Treinamento intensivo
Miyamoto Musashi= O samurai mais famoso de todos os tempos
Jitte= Barra de ferro com haste (víde vídeo)
kusarigama = Foice e corrente

 

02-jul-2009

Madrugada na Farmácia

Ontem tive de ir comprar medicamentos na madrugada. Eram uma e meia.
Tentei estacionar em uma das lojas da Drogasil, mas haviam 2 carros para 3 vagas, pois um deles havia estacionado de maneira "folgada".Tentei.
Tive então de deixar na calçada . Na rua. Sem iluminação. Perigo.
Reclamei a farmacêutica responsável (uma japonesinha) ao que recebi a segunda resposta:
- Não tenho como fazer nada, pois são clientes. Se eu falar eles vão fazer reclamação.
Falei então com o caixa e obtive a seguinte resposta:
- Como é noite , não temos gente para tomar conta do estacionamento. O Sr. liga durante o dia para o nosso gerente.
Estacionamento? Para 3 vagas?!!!
A verdade é que não se encontram mais samurais. Guerreiros que assumem e pegam para si a responsabilidade de resolver as coisas.
Um aluno já havia me dito nesta semana:
-Sensei, a verdade é que ninguém quer assumir nada.
 

01-jul-2009

Férias...

Não . Não vou dizer nada.
Só vou deixar estas palavras que escrevi no Shin Hagakure:
"As pessoas sempre adiam seus projetos por falta de tempo. Estão sempre dizendo:
-Quando entrar de ferias, farei isto, farei aquilo.
Chegam as ferias, mas nada acontece.
Na verdade, conseguimos realizar mais feitos quando estamos em guerra.
"

Férias...
 

30-jun-2009

Niten Kendo Kata

Kendo Kata.
Ou em sua maneira mais formal, Nippon Kendo Kata.
Me perguntaram o porque de introduzi-lo e somente agora no Niten.
Uma vez 7ºdan kyoshi de kendo e jurado da banca examinadora para a mais alta graduação no Brasil( 7o dan), seria um desperdício eu não passá-los aos meus alunos.
Os mais novos devem desconhecer também que, por varias vezes, atuei como auxiliar nos seminários de kendo kata.
Mas o passado não importa.
O fato é que combinei com o mestre Baba , em sua recente visita, que iria transmitir no Niten os fundamentos do kendo kata.
Mas sem vincular aos exames de graduação. Aprender por aprender.
Apenas em busca do conhecimento...é o Niten Kendo Kata.
 


Niten Kendo Kata treinado de forma inédita no Gashuku de São José dos Campos(21 de junho)

28-jun-2009

Relato dos Japoneses no Niten 2

Continuando o relato da japonesa que veio ao Niten (27ago - Relato dos Japoneses no Niten 1):
 

O Kendo hoje é divulgado mundialmente, e estão nascendo várias formas de Kendo segundo a particularidade de cada povo. O kendo no Japão está recebendo um efeito de simplificação desde a disciplina, passos e procedimentos, na forma de colocar a espada na bainha. Pergunto também se não está havendo algum tipo de acomodação como por exemplo ao mudar o Kendo kata esquecendo as sabedorias transmitidas pelos ancestrais? Retirar os excessos é importante, mas na essência do samurai existe um dizer que é 300 reis, 3000 fundamentos e 18 modalidades (Bugei juuhappan como opraticado no Niten), e me pergunto se nesses tempos modernos está sendo preservado ao menos a décima parte disso? Tendo em vista o fato acima exposto, acho que o Bushido está vivo mesmo é no Brasil.

Acho difícil ver no kendo japonês atual o espírito de iniciar e terminar na reverência, forma respeitável de se portar, valores como Jin Gui Rei Chi Shin. Os valores como compaixão e rei não são possíveis de serem adquiridos apenas por meio de confrontos com bogu.

Ficando acomodados só por ser país de origem, o Japão não poderá vencer o kendo de outros países. Aliás, no campeonato mundial já deixou de vencer, e mesmo a nível de estudantes vem havendo derrotas. Talvez estejamos sendo samurais só na aparência, mas sem conteúdo.

O fato de treinar kendo num lugar onde se fala língua diferente foi uma experiência inédita e uma oportunidade única no sentido de repensar sobre como treinar o kendo. Com os ensinamentos adquiridos, gostaria de respeitar a história e cultura, introduzir bons ensinamentos mas mantendo a tradição, assim tornando uma pessoa com personalidade, conhecimento e capacidade suficiente para transmitir esta cultura do Japão.

Por fim gostaria de registrar os meus sinceros agradecimentos ao mestre Baba e Sensei Jorge Kishikawa pela oportunidade única deste encontro no Brasil.


Não tem jeito.
Eu devo já ter mencionado em algum Café anterior que o kendo de tanto que foi divulgado é ao mesmo tempo de todos, e ao mesmo tempo de ninguém. Ou seja, todos estão certos e todos estão errados. Quando você vai ao Japão, um mestre fala uma coisa e outro fala diferente. Não há mais entendimento.
Quanto ao campeonato mundial, sou da mesma opinião de mestre Baba:
- É um contrasenso e as cartas já estão marcadas. São profissionais (japoneses) lutando com amadores (o resto do mundo).

Mas me parece que ultimamente o Japão tem perdido a hegemonia perdendo para americanos e coreanos. Pobre Japão: se vencer fará o mais que óbvio; se perder oferecerá o espetáculo.

Falei demais.
Os guerreiros vão para as montanhas.
Gashuku!

26-jun-2009

Não tem Ki

Um aluno me escreveu ontem que apesar de estar com o corpo dolorido apos o Gashuku (23jun - 9armas), estava muito contente e feliz por ter vencido esta etapa inicial.
Ei-lo:


"Queria dizer que foi uma honra participar desse Gashuku de Katas em São José dos Campos.
Foi o meu 1º Gashuku e superou as minhas expectativas, é até difícil descrever em palavras o sentimento que ficou após esses 3 dias de treino.

(...)

Tiveram momentos difíceis: particularmente ter ouvido do Sensei: “você não tem ki* ...” não foi nada fácil. Ouvir algo que no fundo você já sabe, mas não quer admitir...

O que eu posso dizer é que após ingressar no Niten as mudanças já começaram a ocorrer. É uma luta diária para superar isso. Realmente o seu maior inimigo pode ser você mesmo."

A minha resposta:

- Fico contente com as dores.
Vou continuar te batendo mais!

* KI= energia, fibra, garra



Gashuku: Sensei ministrou o Nippon Kendo Kata

25-jun-2009

Kusarigama - corrente que une guerreiros

Recebi esta mensagem de uma das participantes do Gashuku (23jun - 9armas)
 

"Achei incrível os comentários do Sensei sobre as lutas de kenjutsu dos Senpai* mais graduados. Realmente tem coisas que só praticando e vitaminando o espírito para poder praticar na luta. Aparentemente o que é só um esforço físico, muito precisa do nosso auto-conhecimento sobre nossas próprias emoções e pensamentos, não só para detectarmos os problemas a tempo, mas para ter a energia de superá-los e velocidade de reação, sem esquecer de usar a cabeça. É preciso enxergar à frente, se bem o compreendi, um bom estrategista o faz bem. Bom, ainda não sou muito sagaz, espero que treinando possa um dia alcançar isso, o Sensei deixou clara a direção. Os Momentos de Ouro, realmente foram dourados, todos eles, todas as palavras e demonstrações!/
Fico sempre muito feliz ao revê-lo,Sensei. No Gashuku, mesmo tendo as intempéries, sinto um enorme prazer de estar com o grupo, de compartilhar o sentimento de que há algo especial entre todos nós que nos une. Além dos risos, trocas e oportunidades de ser útil e generosos uns com os outros. É algo sutil e de valor subjetivo, o que nem todos que observam de fora compreendem.

Domo arigato gosaimashita pela atenção especial na Kusarigama*. Continuaremos treinando para honrar nosso compromisso.
Domo arigato gosaimashita por tudo!"



*Senpais=nome que se dá aos veteranos dendo do Instituto Niten
*kusarigama=arma dos samurais composta de foice e corrente com projetil de ferro em sua ponta


24-jun-2009

Aprender em Linha reta

Hoje quero lhe mostrar as palavras de um aluno que veio a SP para shugyo* e participou do Gashuku (23jun - 9armas)
 

"Shugyo

O shugyo não começa quando chegamos à ADM*, e sim quando resolvemos nos colocar a prova... Várias perguntas vêm à cabeça, a primeira com certeza é: Por que eu quero sofrer? A resposta é simples, por que estou cansado de ser acomodado, não quero mais ser simplesmente mais um que aproveita as oportunidades, e sim aquele que cria as oportunidades.
......
Fui armado, em certo ponto até "preparado", para o que podia enfrentar tanto no físico quanto no espírito, minha guarda estava alta, estava sendo cético em relação às atitudes e intenções, tanto minhas quanto daqueles que me cercam. Precisava ter a certeza, mas qual certeza? A que eu sempre acreditei ou aquela que eu poderia presenciar? E para que ter tanta certeza assim? Por que tudo tem que ser tanto preto e branco? Tenho a tola mania de sempre analisar, planejar e criar estratégias para as coisas, e assim eu deixo de aproveitar a essência, o momento e a oportunidade de errar.

Só existe um tempo no qual podemos influenciar o presente, o passado não nos pertence mais e o futuro está muito além das nossas capacidades. Esse é o espírito do samurai, o guerreiro que vive para estar preparado para quando morrer.

Enquanto eu tentava "esconder" os meus sentimentos, eu estava sendo lido como um livro, página por página, não julgado e sim lido cuidadosamente, nas minhas atitudes, na minha fala, no meu olhar, no meu espírito e na minha vontade... E isso foi o mais surpreendente, enquanto eu achava que estava no "controle" dos meus desejos, percebi que os fantasmas do meu lado me denunciavam e apontavam meus erros.

Mesmo assim as pessoas que estavam ali na minha frente me guiavam, abriram os seus corações e permitiram que eu pudesse ver, sem tentar influenciar, achar o que eu tinha ido buscar, achar o meu "tesouro sagrado". Abrir as portas da nossa casa não é fácil, só convidamos aqueles em que acreditamos e quando não temos sujeira por debaixo do tapete, muitas vezes precisamos testar e ser testados, só assim o verdadeiro espírito aparece.

De nada adianta ler e ouvir, se a gente não vive a experiência. Estar presente é ver, tocar, degustar, cheirar e ouvir o momento. Aprender da fonte, sem filtros ou atalhos. Não existe nada mais sério do que a relação de um mestre e seu aprendiz, e a confiança demora uma vida para ser formada, mas acaba em uma respiração.

Usando uma história zen, posso dizer que a minha xícara de chá foi esvaziada. Não tenho mais medo, verdades, conceitos, histórias e vontades egoístas. Agora eu quero aprender, uma linha reta. Como aprendi, ter uma vida de várias escolhas nos traz sofrimento, existem momentos que devemos não ter escolha e ser o que acreditamos, nem sempre fazer o correto é o mais fácil!

Sobre o treino físico? Sim você sofre, seu corpo fica doendo, o sono carrega para bem longe a sua vontade, os hematomas ficam evidentes, sua mente se cansa, a fome bate à sua porta e o desejo de fugir fica corroendo todo o seu ser... Mas isso não é nada quando comparo aos momentos únicos que tive as lutas incríveis que pude travar com grandes guerreiros, mesmo sendo jogado no chão, prensado na parede, levantado a alturas impossível com um simples golpe, sentir na pele, literalmente, como é sentir seu corpo ser dilacerado, minado por vários cortes. Sim, a palavra certa aqui é corte, tive que aprender a esquecer que está usando um pedaço de bambu nas mãos, e sim uma katana que tem vida.

Aprender que no iai* tudo é a questão do tempo de uma respiração e que a katana nada mais é do que a extensão do seu corpo e vontade.

O que levo do meu shugyo se resume a palavra retidão, segue duas frases que explicam o meu sentimento sobre essa palavra:

"Nenhum outro sentimento pode trazer mais alegria e felicidade à alma do homem do que a certeza de estar fazendo tudo para ser reto."
(autor desconhecido)

"Aquele que reprime os ímpetos da cólera estará a coberto de qualquer perigo. É conveniente saber sufocar, ou ao menos moderar a cólera, o temor, a tristeza, a alegria, e outras agitações profundas que podem alterar aretidão da alma."
(Confúcio)

Domo arigato gozaimashita ,Sensei, por ter aberto a sua casa para que eu pudesse treinar eaprender.
Domo arigato por todos os Senpais que me ensinaram as técnicas e que meajudaram a superar o meu limite moral.

Sayonara!
"


* shugyo= treino recluso em São Paulo
*A DM = adminsitração central do Niten
* iai = arte de desembainhar espada de metal


23-jun-2009

Gashuku 1 / X

Temrinado o Gashuku de Katas (19jun - 9 armas) em São José dos Campos, recebi estas impressões do aluno que participou com o seu filho:

"Gashuko 1 / X
1 ........ Primeiro, primeira reflexão
/ ........ De
X ........ Muitos, valor indeterminado

Meu primeiro Gashuko:
Comentário do Sensei:
-Você relembrou a infância!
Hai sensei,
- a infância (mesa grande e muuuita alegria)
- a adolescência (descoberta da amizade)
- a faculdade (as olimpíadas entre engenharias, alojamentos, beber muito entre amigos)
- a maturidade (a responsabilidade de aplicar e repassar os nossos valores no dia a dia)
Domo arigato gozaimshitá, Sensei!
F.O.
"

Ao ser perguntado por um de seus colegas se com este Gashuku havia aprendido mais algum kata novo, este respondeu:
- Mas que kata novo! Que nada! Descobri depois deste Gashuku é que eu não sei fazer nem o primeiro kata!!!
 


"a infância: mesa grande e muuuita alegria"




topo

(+55 11) 5539-3587 seg-sex 9h-18h
(+55 11) 99734-6497 seg-dom 9h-22h